voltar

Blog > Vencendo a timidez na infância

Vencendo a timidez na infância


Quando bebês, nossos filhos são como pacotinhos de alegria, entusiasmados em conhecer e descobrir mais sobre o mundo ao qual acabaram de chegar. Algumas vezes, enquanto ainda são pequeninos, podemos perceber certos traços de introversão. Mas somente mais grandinhos, lá pelos dois anos de idade é que podemos ter certeza se sua personalidade é mesmo de um introvertido ou de um extrovertido. Simplificando, introvertidos são aqueles indivíduos que são mais afetados por seu meio interno do que pelo externo, ao contrário dos extrovertidos, pessoas expansivas que mantém seu foco nas condições e pessoas do ambiente exterior onde estão.


Os introvertidos tendem a ser mais calados e tímidos. Eles não querem ser o centro das atenções, querem ficar mais quietinhos ali no canto e lidam melhor com pequenos grupos de conversa. Não desejam se destacar no meio de um grupo e falar com ele. Querem escutar cada pessoa desse grupo e, aos poucos, ir conhecendo-o. Aparentemente, nossa sociedade parece nos exigir que sejamos extrovertidos, saibamos nos destacar dentro de um grupo e o liderar. Mas não é bem assim. Cada vez mais percebe-se as vantagens de líderes introvertidos que, com menos palavras, podem ser tanto ou até mais eficazes do que extrovertidos.


De qualquer maneira, mesmo na infância, uma timidez excessiva não ajuda ninguém. Aquela vergonha do pequeno em ir a uma festinha, pedir ajuda à professora ou conversar com os coleguinhas de escola. A timidez não é culpa da criança, é só um traço de sua personalidade que pode ser atenuado ou superado. Ela provavelmente não deixará de ser introvertida, mas saberá como lidar com a timidez, respeitando os limites de sua introversão, adquirindo mais confiança e tornando-se mais sociável.


Empatia: o primeiro passo a ser tomado pelos pais é demonstrarem empatia pela timidez da criança. Empatia e não simpatia. Simpatizar com a timidez acabará tornando-o ainda mais tímido e submisso. Mas empatia significa entender a dificuldade de seu filho e, junto com ele, tentar superá-la. Ajude-o a aumentar sua autoestima encorajando-o a fazer aquilo que lhe é dificultoso. Sempre reconheça suas superações e conquistas.


Autoestima: para fortalecer a autoestima de seu filho, você precisa ajudá-lo a descobrir seus pontos fortes. Quando ele se perceber como um indivíduo cheio de qualidades, será capaz de construir sua identidade de maneira positiva, o que ajuda a atenuar a timidez. Para toda criança há uma atividade em que ela se sente confortável e que a faz se sentir bem. Descubram juntos qual é e estimule-o a praticá-la com frequência. Ver materializado nos resultados de um esporte, de uma pintura ou de um instrumento musical o seu talento ajuda a criança a se descobrir e a se gostar mais.


Encoraje a interação: quando a criança tem maior noção sobre quem é e quais são suas qualidades, a interação social fica mais fácil. É importante que ela comece interagindo com crianças de sua faixa etária, que possuam o mesmo grau de desenvolvimento e interesses. Como primeira experiência, convide os amiguinhos da escola para uma tarde de brincadeiras em casa, assim seu filho se sentirá mais confortável. Depois disso, ir à casa dos outros ou a ambientes estranhos com os mesmos colegas se tornará mais fácil.


E não se esqueça: tente não rotular seu filho como “o tímido”, ou “o mais quietinho”, isso acaba diminuindo sua autoconfiança e torna mais difícil vencer a timidez. Sempre o encoraje a socializar e ser ele mesmo em meio aos outros.