voltar

Blog > Brincadeiras

5 brincadeiras que desenvolvem a coordenação motora grossa

Para ajudar as crianças mais novinhas a desenvolverem mais de sua coordenação motora grossa, a brincadeira é fundamental. Atividades como correr, pular, arremessar exigem muito de seus músculos maiores. Confira algumas brincadeiras clássicas da infância que ajudam nesse processo:
1. Imitação: a chave para ajudar seu filho a desenvolver a coordenação motora grossa é fazer com que entenda o que o corpo humano pode fazer. Atice a imaginação da criança e faça-a copiar seus movimentos. Bata a asas como um pássaro ou pule como um sapo. Brinquem de mímica e, juntos, adivinhem o que cada um imita.
2. Brincar de balanço: o balanço ajuda o pequeno a desenvolver seu equilíbrio, assim como exige que ele coordene alterações de peso para dar impulso ao movimento.
3. Dançar: dançar ajuda a criança a desenvolver a percepção de ritmo e coordenar seus movimentos a partir dele.
4. Obstáculos: obstáculos de um parquinho, ao ar livre ou até mesmo dentro de casa são formas divertidas de ensinar o pequeno a traçar metas e vencer suas as dificuldades até conquista-las. Utilize móveis e almofadas para construir obstáculos a serem superados para ao fim do percurso, mas sempre atento à segurança da brincadeira.
5. Amarelinha: pular amarelinha fortalece os músculos, desenvolve o equilíbrio e a coordenação, alternando o ato de ficar sobre apenas uma perna e, depois, sobre duas, abaixando para pegar a pedrinha, etc. É um exercício completo e divertido.

Além dessas brincadeiras tradicionais, brinquedos também podem ajudar no desenvolvimento da coordenação motora grossa das crianças. Confira a lista dos produtos Calesita pensados para isso!

5 motivos para deixar seu filho mais próximo da natureza!

A Primavera chegou e é hora de começar a passar mais tempo brincando ao ar livre e aproveitando o clima agradável da estação. O contato com a natureza desde cedo traz diversas possibilidades de aprendizado e desenvolvimento para os baixinhos. Listamos abaixo algumas razões para entender por que esse contato com a natureza é tão importante:

1 – A brincadeira ao ar livre permite que a criança construa a noção da relação do seu corpo no espaço.

2 – Brincar ao ar livre de forma livre ou dirigida facilita a criança entender e explorar as potencialidades do seu corpo, o autoconhecimento e a se expressar.

3 – Correr, pular obstáculos, subir numa árvore, caminhar na areia da praia e tantas outras atividades incentivam e estimulam o desenvolvimento motor dos pequenos.

4 – Um passeio com os pais ou com a família ajuda a fortalecer vínculos.

5 – A troca de ambientes, o sair de casa e explorar o meio que nos cerca contribui para o alívio do stress e diminui a ansiedade.

Brincadeiras de faz de conta

Quando a criança passa a brincar de uma forma mais elaborada, atribuindo significados diferentes do original para objetos diversos é quando acontecem os chamados jogos simbólicos, ou brincadeiras de faz de conta. Entre os 2 e 5 anos de idade, esse hábito passa a fazer parte da rotina de brincadeiras dos pequenos, é quando eles começam a brincar de casinha, de super-herói, de professor, médica, etc.

As crianças costumam brincar com o universo adulto e situações corriqueiras que presenciam, geralmente representando os papéis do pai e da mãe, e de adultos com quem elas convivem. Nessa fase, brinquedos como carrinhos, bonecas, casinhas, brinquedos que imitam a realidade, entre outros são bem-vindos e ajudam a construir a brincadeira.

O aprendizado nessa fase é grande, e a criança passa a desenvolver habilidades cognitivas, e também amadurecem fisicamente, emocionalmente e socialmente, especialmente quando brincam com outras crianças.

A Calesita tem uma linha extensa de brinquedos voltados para o universo faz de conta, confira todos eles.

A importância das brincadeiras de criança

Muitas brincadeiras tradicionais resistem ao tempo e ainda são presentes na vida das crianças hoje em dia, mesmo com elas passando cada vez menos tempo na rua. O livro A Arte de Brincar, de Adriana Friedmann, fala sobre habilidades estimuladas por essas brincadeiras e mostra como elas são importantes no desenvolvimento das crianças.
Listamos algumas delas para você conferir:

Jogos de Mesa: gamão, dama, memória, mico, jogos de percurso, quebra-cabeça – são brincadeiras que desafiam os pequenos a se colocarem no lugar do outro, esperarem pela sua vez, conterem-se, sincronizarem jogadas com o parceiro e vencerem os próprios limites.

Cabo de Guerra – a importância de unir forças, trabalhar como um time, coordenar movimentos, cooperar e apoiar os amigos.

Pega-pega, Esconde-esconde, Cabra cega – Desenvolvem coordenação motora e habilidades físicas. Agilidade e estratégia também são estimuladas.

Amarelinha, Peteca – Desenvolvem destreza e agilidade. Coordenação motora e noção visoespacial também são desenvolvidas.

Brincadeiras de Faz de Conta – Trabalham criatividade e fantasia, expressam, através da brincadeira, emoções positivas e negativas.

Brincadeiras de Rodas – Trabalham o vocabulário e a noção de coletividade.

Batata Quente, Dança das Cadeiras, Queimada – Desenvolvem agilidade e ritmo, além de estimularem a coordenação motora fina.

Esses foram alguns exemplos de como algumas tradições trazem por trás de si, ensinamentos e funções que vão muito além do que se imagina. Estimule seu filho a brincar e descobrir todos os benefícios vindos através desse divertido hábito.

Fonte: Revista Crescer.

A relação entre brincar ao ar livre e a obesidade


Um dos principais motivos do sedentarismo crescente de crianças que vivem em grandes cidades é a falta de oportunidade que estas têm para brincar fora de casa, ao ar livre. Claro que todos nós sabemos dos problemas relacionados à segurança nas zonas urbanas e que não é mais tão simples deixar os pequenos irem brincar na rua, como há 30, 40 anos atrás. Entretanto, isso resulta na epidemia de sedentarismo infantil que vivemos atualmente e que tem como principal consequência a obesidade: um problema seríssimo, que pode prejudicar o desenvolvimento saudável do pequeno.
Um estudo conduzido na Cidade do México em 2011 concluiu que o risco de obesidade infantil é reduzido em 10% para cada hora de atividade física de intensidade moderada praticada diariamente pela criança. Essa hora de exercícios pode muito bem ser substituída por 60 minutos jogando bola, correndo, brincando de pique-esconde ou num parquinho. A conclusão do estudo foi que crianças que brincam diariamente fora das paredes de sua casa ou apartamento tendem a ser mais magras do que aquelas que se divertem apenas com videogames ou a TV. Inclusive, o mesmo estudo concluiu que o número de horas que a criança passa diariamente na frente da TV está diretamente ligado ao aumento de peso. Cada hora diária de televisão aumenta em 12% o risco dos pequenos desenvolverem a obesidade.
Os autores do estudo também concluíram que a TV aumenta o risco de obesidade não só por desviar a criança das atividades físicas, como também por induzir à ingestão de alimentos altamente calóricos. Ademais, as constantes propagandas de doces e outros industrializados que são costumeiramente vinculadas na TV, principalmente nos canais infantis, também suscitam o interesse das crianças por experimentar e consumir mais desses alimentos.


Na verdade, brincar ao ar livre, longe da televisão, dos tablets, celulares e videogames deveria ser uma lição de casa diária para todos os pequenos. Chegando da escola ou antes do jantar, deixe o pequeno descer ao playground do prédio ou condomínio. Leve-o ao parquinho mais próximo para brincar no escorregador, balanço, gangorra. Se sua casa possui um quintal ou jardim, improvise um jogo de bola ou pique-esconde com seu filho. Aproveite os fins de semana para levá-lo a parques, não shoppings. Deixe-o convidar o vizinho para brincar junto, ter diariamente essa oportunidade de se exercitar, socializar, desenvolver sua imaginação e coordenação motora. A brincadeira não tem hora e tem que ser diária na vida de uma criança!

DIY férias: vasinho de plantas bonequinho

Com a chegada das férias de julho, é hora de tirar da cartola boas ideias para entreter os pequenos durante o tempo de folga.
Hoje trouxemos um projeto muito fofo para enfeitar sua casa ou jardim: um vasinho de plantas em forma de bonequinho.

Para fazê-lo, você vai precisar de:

- 2 vasinhos de terracota de tamanhos diferentes, o maior será o corpo do bonequinho e o menor a sua cabeça, onde vamos plantar uma muda. Esse tipo de vaso é muito fácil de encontrar em lojas de jardinagem e supermercados.
- retalhos de tecido
- barbante de sisal
- enfeites como miçangas e cristais
- olhinhos de brinquedo, facilmente encontrados em lojas de artesanato e papelarias
- botões
- fita
- pedaços de papelão
- cola quente
- tesoura
- canetinha vermelha
- terra e uma muda da planta de sua preferência

Modo de fazer: para fazer os braços do boneco, cole um pedaço do barbante de sisal entre os vasos e depois os fixe também com cola. Amarre um botão em cada extremidade do barbante de sisal, para fazer as mãozinhas.

Cole também os olhinhos de brinquedo no vasinho menor e, com a canetinha vermelha, desenhe uma boquinha.

Desenhe um par de botas no pedaço de papelão, recorte-o e cubra com tecido. Depois fixe os pezinhos em dois barbantes de sisal.

Cole os barbantes na parte de baixo do vaso maior. Utilize a fita para fazer um acabamento no corpo, colando-a envolta do vaso maior.

Cole miçangas, cristais ou demais enfeites no corpo, como a criatividade mandar. Depois é só plantar a mudinha de planta na cabeça do bonequinho-vaso.

Posicione o vasinho em um local iluminado e bem ventilado, respeitando as necessidades específicas do tipo de planta que ele comportar. Esta é uma ótima oportunidade para ensinar o pequeno a cuidar da plantinha, regando-a e acompanhando o seu crescimento!

Divertido, não é mesmo?

Imagens: Pinterest.