voltar

Blog > cozinha

Tubérculos saudáveis

Quando pensamos em tubérculos, logo vem a nossa mente a batata, o mais popular desse tipo de leguminosas. No entanto, a batata é pobre em vitaminas, proteínas e fibras, sendo apenas uma fonte poderosa de carboidratos. Mas outros tubérculos são muito mais saudáveis e até mais saborosos, sendo ótimas opções para substituí-la no cardápio. Separamos alguns deles com ideias de consumo que vão agradar a criançada.

Mandioquinha: Também conhecida como batata salsa ou batata baroa, esta tuberosa é rica em fibras, tem ação antioxidante, altos níveis de vitamina C, E, B e K. É também uma boa fonte de cálcio. Sugestão de consumo: purê de mandioquinha é uma delícia para o almoço como acompanhamento. Amasse 4 mandioquinhas pré-cozidas, misturando 1 colher de sopa de manteiga e sal a gosto.

Mandioca: Atende também pelo nome de aipim ou macaxeira, dependendo da região do país. A mandioca é o alimento base da cultura indígena e por isso tão popular no Brasil. Fonte natural de fibras e potássio, é altamente energética, sendo recomendada até para quem tem diabetes, além de possuir ação antioxidante. Sugestão de consumo: cozida na água, com um pouco de sal. O cozimento é demorado, cerca de 1 hora. Dica: ao comprar a mandioca, descasque-a e coloque-a direto na água para conservar por até um dia. Você também pode descascá-la e levar ao congelador, com validade de até 3 meses.

Batata doce: Muito consumida para a prática de esportes e emagrecimento, a batata doce possui baixo índice glicêmico, já que sua absorção é mais lenta. É também um carboidrato complexo recomendado para diabéticos. Ajuda na formação de colágeno e é rica em vitaminas A, B e C, além de fibras. Sugestão de consumo: assada. Pré-aqueça o forno por 10 minutos a 220 °C. Coloque a batata com casca e tudo no forno, virando de lado a cada 10 minutos por cerca de 40 minutos. Sirva em seguida, com casca e tudo, basta cortá-la no meio e raspar o conteúdo com uma colher.

Inhame: Outra tuberosa de tradição indígena, o inhame é outra fonte riquíssima em fibras. É rico em ferro, potássio, cálcio, cobre, fósforo e magnésio, fonte de fibras e ácido fólico, sendo o mais saudável desses quatro tubérculos. Sugestão de consumo: cozido. Descasque e pique o inhame, cozinhe por 30 minutos em água fervente. Sirva com um pouco de sal e manteiga de café da manhã, fica uma delícia!

Formas caseiras de curar e confortar


Mudança de estações, como esta do inverno para a primavera, acabam sempre causando algumas mudanças de temperatura, umidade e qualidade do ar. Isso acarreta, às vezes, aqueles resfriados, alergias e indisposições diversas nos pequenos. Contudo, toda mãe conhece algumas formas caseiras de aliviar certos mal-estares que um dia sem casaco ou um vento mais gelado podem causar, trazendo conforto quase imediato para as crianças.


Para problemas respiratórios, gripes e resfriados, uma boa maneira de acelerar a melhora da criança é preparar uma sopinha quente. A canja é a receita mais comum. A proteína da carne, as vitaminas dos legumes e o carboidrato do arroz são uma bomba de nutrientes para dar vitalidade à criança. Além do que, a sopinha quente conforta e abre as vias aéreas. Outra boa dica, para gripes, resfriados ou alergias que deixam o nariz dos pequenos entupido, é adicionar um pouco de curry, tempero indiano picante que ajuda a abrir as vias aéreas e esquenta o corpo, acelerando o trabalho do sistema imunológico. Chás quentes com gengibre, mel e limão podem também ser um alívio imediato para esse tipo de mal-estar.


Quando o tempo está muito seco, também são comuns problemas respiratórios. Nesses casos, o ideal é tentar umidificar o quarto da criança. Existem umidificadores de ar à venda em farmácias e lojas especializadas em produtos médicos que são aliados poderosos. Utilizando uma solução de soro fisiológico, o aparelho produz uma inalação que abre as vias respiratórias. Mas, caso você não disponha de um umidificador, pode aplicar a solução de soro fisiológico diretamente no nariz do pequeno, assim como deixar uma toalha molhada perto de sua cama. Conforme a umidade da toalha evapora, esse processo ajuda a equilibrar a qualidade do ar no ambiente.


Para problemas de digestão, evite dar antiácidos para as crianças. O melhor é utilizar alimentos naturais que equilibrem o ph do estômago, tais como batata, couve, milho, pimentão e uva. Até mesmo uma mistura de água com suco de limão pode combater a acidez, pois, apesar dessa fruta ser cítrica, ela tem um efeito neutralizador de ácidos quando chega ao estômago. O mesmo se aplica ao abacaxi, que possui enzimas proteolíticas, que neutralizam as proteínas. Mas caso utilize essa fruta com antiácido, certifique-se de que a criança não consuma carboidratos junto, pois eles acabam inibindo sua ação.


Para casos de constipação intestinal, são muitos os alimentos que podem sanar esse problema, evitando o uso de purgantes ou supositórios de farmácia. A fruta mais poderosa é o mamão e mesmo as suas sementes podem ser consumidas para acabar com a constipação. Outros alimentos que equilibram a quantidade de fibras no organismo são: folhas verdes, brócolis, laranja com bagaço, leguminosas (abóbora, cenoura, beterraba, inhame), oleaginosas (grão de bico, lentilha, feijão, ervilha), damasco, ameixa, aveia e cereais integrais.


Portanto, quando seu filho estiver com alguma dessas indisposições comuns, é melhor ir antes à geladeira do que à farmácia. Evitar o uso de remédios desde a infância é garantir a saúde do pequeno no futuro.

5 nutrientes essenciais para o inverno



As baixas temperaturas já estão dando o ar da graça nesses últimos dias, indicando a proximidade do inverno. Com isso, ficamos um pouco apreensivos se o frio não vai causar aquelas doenças chatas que prejudicam o bem-estar das nossas crianças. No entanto, de uma forma natural, podemos prevenir gripes, resfriados, amidalite, otite, alergias e outras doenças comuns na estação: basta incluir na alimentação vitaminas e minerais que previnem ou atenuam esses males e dão ao pequeno uma resistência imunológica maior. Separamos os 5 principais parceiros do sistema imunológico para este inverno e suas fontes naturais de consumo:


1. Vitamina C: o mais popular entre os nutrientes contra gripes e resfriados é a vitamina C. Seu consumo por meio de alimentos naturais é mais indicado do que pastilhas compradas em farmácias. Ao contrário do que normalmente dizem por aí, a vitamina C não necessariamente previne doenças respiratórias, mas reduz a potencialidade de seus diversos sintomas. Ela age como um antioxidante, protegendo o corpo contra vários outros males, como problemas cardíacos e câncer. Também é fundamental para a produção de colágeno, elemento envolvido na renovação da pele e fortificação dos ossos.


Alimentos indicados: principalmente frutas cítricas, kiwi, acerola, morango. Também em vegetais frescos como repolho, brócolis e ervilhas.


2. Ferro: o ferro é imprescindível para a formação de hemoglobina, responsável pelo transporte de oxigênio em nosso corpo. Também é necessário para a produção de energia, performance intelectual e vitalidade. Quando não consumido propriamente, pode levar à anemia, causando letargia e cansaço.


Alimentos indicados: a carne vermelha é uma rica fonte de ferro, assim como ovos, feijão, lentilha e frutas secas. Algumas farinhas de trigo disponíveis no mercado são enriquecidas com o nutriente. Consumir alimentos ricos em vitamina C juntamente com alimentos ricos em ferro ajudam em sua absorção.


3. Vitamina A: elemento importantíssimo para o processo de cicatrização e renovação de tecidos e formação de colágeno. Tem poder antioxidante, é um fortalecedor do sistema imunológico e faz bem para a visão.


Alimentos indicados: Leite, gema do ovo, fígado de boi ou galinha, cenoura, tomate, vegetais de cor verde escura (brócolis, couve, rúcula), manga, damasco e peixes com carne mais gordurosa, como salmão, atum, arenque e sardinha.


4. Vitamina E: também possui função antioxidante, atuando na proteção das membranas celulares. Fortalece o sistema imunológico, faz bem para a pele e pode prevenir problemas de coração e câncer.


Alimentos indicados: nozes, castanhas, amêndoas e pistaches são excelentes fontes de vitamina E, assim como vegetais de cor verde escura (brócolis, couve, rúcula) e cereais.


5. Selênio:  mineral essencial para a atuação das enzimas que defendem o corpo de doenças. Também possui função antioxidante e fortalece o sistema imunológico.

Alimentos indicados: cereais, carne vermelha, peixe e castanha-do-pará.

2 receitas saudáveis de pão de queijo

Não tem nada mais gostoso do que um delicioso pãozinho saindo do forno, ainda mais com esse friozinho que está começando. Que tal experimentar essas duas receitas alternativas do nosso tradicional pão de queijo? Para o lanche da tarde ou café da manhã, junto com uma xícara de chá ou café quentinho, não tem nada mais reconfortante para a criançada. O legal das receitas é que são livres de glúten, engordam menos e, no lugar da farinha, levam dois tubérculos da estação e que são muito benéficos para a saúde: a mandioquinha e o inhame.

Pão de queijo de mandioquinha
Conhecida por mandioquinha, batata-baroa ou batata salsa, dependendo da sua região. É um tubérculo rico em vitaminas dos complexos A e B, além de cálcio, magnésio e fósforo.
Ingredientes:
— 2 Mandioquinhas (mais ou menos 250 g)
— 1 1/3 Xícara de polvilho doce
— 2/3 Xícara de polvilho azedo
— 4 Colheres de sopa de azeite de oliva
— 3 Colheres de sopa de água
— ½ Xícara de queijo parmesão ralado
— ½ Colher de chá de sal

Modo de fazer: descasque as mandioquinhas, corte-as em cubinhos e cozinhe-as. Quando estiverem macias, escorra-as e amasse-as com ajuda de um garfo, até formarem um purê. Adicione os demais ingredientes e misture bem, sovando a massa até ela tornar-se lisa e homogênea. Pré-aqueça o forno a 180°C. faça pequenas bolinhas com a massa e disponha-as sobre uma assadeira forrada com papel manteiga ou untada com um fio de óleo. Asse por cerca de 30 minutos a 180 °C ou até os pães ficarem douradinhos.
Rendimento: 20 pãezinhos

Pão de queijo de inhame
O inhame é o mais nutritivo dos tubérculos consumidos no Brasil. Em algumas localidades, é também chamado de cará, mas na verdade, inhame e cará são dois tubérculos diferentes. O inhame é mais fibroso e nutritivo, possui uma coloração mais escura. Rico em vitamina C e em vitaminas do complexo E e B, ajuda no fortalecimento do sistema imunológico.

Ingredientes:
— 6 Inhames
— ½ xícara de polvilho doce
— ½ xícara de sopa de polvilho azedo
— ½ xícara de azeite de oliva
— ½ xícara de queijo parmesão ralado
— 1 Colher de sopa de alecrim fresco
— 1 Colher de sopa de sementes de chia (opcional)
— 2 Colheres de sopa de água
— 1 Colher de café de sal

Modo de fazer: o procedimento é parecido com o do pão de queijo de mandioquinha. Descasque e pique os inhames e coloque-os para cozinhar em água quente. Depois, escorra-os e, com ajuda de um garfo, faça um purê. Acrescente os outros ingredientes ao purê. Pré-aqueça o forno a 200°C. Sove bem a massa até ela ficar lisinha e homogênea. Quando ela não estiver mais grudando nas suas mãos, faça bolinhas e coloque-as numa forma forrada com papel manteiga ou untada com um fio de óleo. Asse por 30 minutos a 200°C ou até os pães ficarem douradinhos.
Rendimento: 20 pãezinhos.

DIY: café da manhã divertido

Que tal um prato divertido para começar bem o dia e incentivar a criançada a se alimentar melhor? Experimente estas ideias para montar um lindo café da manhã para o seu pequeno e inserir algumas frutas no cardápio:

Torrada doce de urso

Torrada + mel + banana + uva passa formam um ursinho fofo numa torrada doce e nutritiva. Prefira uma fatia de pão integral para a arrematar.

Arco-íris de frutas + Sol de torrada e ovo

Framboesas + melão, abacaxi e kiwi em pedaços + mirtilos formam esse lindo arco-íris que acaba numa deliciosa torrada com ovo, representando o Sol. Você pode substituir qualquer uma dessas frutas por outra de cor semelhante, por exemplo, framboesas por morangos ou mirtilos por uvas. O melão de cor laranjada é de uma variedade diferente, chama-se melão orange e pode também ser substituído por mamão.

Coqueiros de frutas

Kiwi + bananas + gomos de mimosas e muita criatividade viram esses lindos coqueiros de frutas no prato. Inspira até uma versão com folhas verdes e legumes para o almoço, não?

Dinossauro de torradas e frutas

E esse dinossauro simpático formado por torrada, banana e kiwi? Uma graça! Você pode pôr mel ou pasta de amendoim sobre a torrada para grudar melhor as rodelas de banana. Os olhinhos e boquinha são formados por um pedaço de uva passa cortadinha.

Para as mamães sem dons artísticos: use confeitos coloridos
Se você achou todas essas ideias lindas, mas não tem o menor talento para montar essas figuras com comidas, pode dar uma incrementada no café da manhã de seu filho com um pouco de confeitos coloridos, como na imagem abaixo, uma tigela de frutas com iogurte grego e um pouco de granulados coloridos. Qualquer cor diferente já anima a criançada a experimentar! Apenas tenha cuidado ao comprar um desses confeitos, preferindo aqueles com menor teor de açúcar.

5 dicas para a hora das refeições

Segundo estudo recente nos EUA, é nos primeiros anos de vida que aprendemos a nos alimentar. Pensando nisso, separamos algumas dicas para você adotar em casa para ensinar desde cedo hábitos saudáveis de alimentação para seu filho.
Confira:

- Dê o exemplo. Os pequenos observam e aprendem a partir do exemplo dos adultos. Adote alimentos saudáveis na sua dieta e evite mostrar aos pequenos hábitos que você não quer que eles adotem.

- Diversifique os pratos oferecidos aos bebês. Além de oferecer o máximo de nutrientes possível, é importante ensinar a eles desde cedo todas as possibilidades e também conhecer quais são suas preferências. Vale lembrar que as papinhas podem ser saborosas também. Mesmo sem precisar adicionar sal, elas podem ser preparadas com cebola, alho , salsa, etc.

- Acostume seu filho a beber bastante água desde cedo. Evite oferecer bebidas como refrigerantes ou sucos industrializados o máximo que puder. A água é a melhor opção para matar a sede, hidratar, ajudar no funcionamento do organismo em geral, inclusive do intestino.

- Até os 2 anos, a criança tem capacidade de saber quando está saciada ou não. Deixe o pequeno comer o quanto quiser. Oferecer uma porção maior do que o necessário pode causar frustração ou incentivar a criança a comer mais do que necessita, dando origem a outros problemas que podem se agravar na vida adulta. Observe o quanto seu filho normalmente come, e leve em consideração na hora de preparar a quantidade de comida a ser servida. Nunca force a criança a comer.

- Tenha horários para as refeições. A rotina ajuda o metabolismo da criança a se organizar e a criança aprende a identificar sensações de saciedade ou fome. A rotina contribui também para o dia a dia dos pais, que podem adaptar seus horários com mais facilidade.