voltar

Blog > halloween

Prevenindo a desidratação em bebês

Nesta estação de altas temperaturas, a desidratação dos bebês é um perigo em potencial. Os pequenos precisam de líquido com muito mais frequência que os adultos, uma vez que seu aparelho digestório ainda em formação possui menor capacidade de armazenamento. Para bebês com menos de 6 meses que só mamam no peito, é importante que a mamãe sempre se mantenha hidratada. Normalmente, a amamentação é o suficiente para hidratação do pequeno e, em certos casos, água e soluções hidratantes podem ser recomendadas pelo pediatra.

Já no caso de bebês com mais de meio ano de vida, podem ser administradas pequenas quantidades de água junto com a amamentação regular. Oferecer alguns alimentos sólidos também é uma boa opção para prevenir a desidratação.

O jeito mais simples de saber se seu bebê está precisando de mais líquidos é observando a troca de fraldas. Se o pequeno está trocando menos de seis fraldas molhadas por dia, ofereça-lhe maior quantidade de líquidos. Outros possíveis sinais de desidratação são os seguintes:

— Ficar sem fazer xixi por mais de três horas;
— Urina mais escura e concentrada;
— Lábios e boca secos;
— Pele seca e descamando;
— Olheiras, olhos afundados;
— Poucas lágrimas quando chorar;
— Sonolência exagerada;
— Menor energia e respostas mais fracas aos estímulos.

Se algum desses sintomas for notado, o recomendável é entrar em contato com seu pediatra ou encaminhar o bebê ao atendimento médico mais próximo, para que um profissional oriente o tratamento de reidratação mais eficaz.

Como alimentar seu filho quando ele está doente

Não são poucas as vezes em que nossos pequenos ficam doentes e, consequentemente, abatidos e sem apetite. Nessas ocasiões, o que é recomendado que eles ingiram, especialmente se a enfermidade dura um período maior? Sempre tememos que eles percam peso e enfraqueçam, retardando sua recuperação.
As crianças mais novas costumam ficar doentinhas mais frequentemente. Gripes, resfriados e outras viroses estão na ordem do dia. Evitar esses quadros é um pouco difícil, uma vez que nossos bebês estão sempre em contato com outras crianças e adultos. Como o sistema imunológico dos bebês ainda está armando suas defesas, tendo o primeiro contato com vírus considerados comuns, eles ficam doentinhos frequentemente e isso é parte normal de seu desenvolvimento.
A prevenção sempre é o melhor remédio, mas é difícil que crianças mais novas sigam certas regras de higiene como lavar as mãos ou não levar objetos sujos à boca. Quando os pequenos ficam doentes também não podemos força-los a comer, pois é normal e frequente a perda de apetite.
A princípio, a criança deve comer aquilo que lhe apeteça, a não ser que esteja sofrendo de uma enfermidade gastrointestinal (o que exige uma dieta mais leve e muita hidratação). Via de regra, não é necessário seguir nenhuma dieta especial e, se se recusa a comer alguma coisa, não se deve insistir para que coma.
Mas o mais importante é aumentar a ingestão de líquidos. Durante qualquer enfermidade, nosso corpo necessita de mais água, especialmente na presença de quadros febris. Alimentos como frutas e vegetais, além de caldos, vitaminas e sucos naturais são recomendados.
Se o bebê ainda mama no peito, claro que o leite materno é o melhor remédio. Tente aumentar a frequência de mamadas durante o período da enfermidade. Os maiorzinhos precisam de alimentos de fácil digestão e mastigação: arroz, purês, massas, sopas, iogurte, mingau.
Quando a doença passa, é hora de incrementar a dieta com mais nutrientes, a fim de repor as forças: proteínas e vitaminas para repor o peso perdido e continuar com o crescimento adequado. Refeições extras podem figurar na rotina, mas sempre contando com alimentos nutritivos como cereais integrais, ovos, legumes, peixes, carnes, frutas secas e frescas e derivados de leite. Evite oferecer alimentos fritos, industrializados ou doces até a recuperação total do corpo.

Cuidados com a pele dos bebês durante o inverno

Em época de temperaturas e humidade do ar baixas, é preciso tomar cuidado com alguns danos que essa combinação pode trazer para a pele delicada de bebês e crianças.

O ressecamento da pele imatura dos bebês pede uma atenção especial dos pais e cuidadores. Alguns cuidados importantes para evitar possíveis lesões e para manter a pele saudável incluem:

- evitar banhos com água muito quente;
- o uso de hidratantes especiais para bebês nas áreas mais afetadas, como as bochechas, precisa fazer parte da rotina;
- usar roupas de algodão diretamente em contato com a pele;
- manter a criança hidratada, com oferta constante de água;
- os lábios dos pequenos podem ficar ressecados, por isso vale investir em manteiga de cacau ou hidratante labial que esteja sempre à mão.

Com essas dicas simples, é possível curtir o inverno de forma saudável e tranquila!

Dicas de segurança no parquinho

Balanços, argolas e todos os brinquedos em que a criança pode se pendurar ou escalar são alvos de preocupação de pais e autoridades de saúde pública. Os brinquedos favoritos de muitas crianças são também um risco e causa de acidentes com traumas de cabeça.

Para evitar quedas e lesões importantes, especialmente em tempo de férias escolares, é importante tomarmos alguns cuidados na hora de levar os pequenos para brincar no parque.

- Confira se há manutenção regular dos brinquedos do parque e se há indicação de idade apropriada para os brinquedos.
- Prefira locais onde o piso é grama, areia ou emborrachado. O concreto é a superfície menos indicada para a brincadeira nos playgrounds.
- Mantenha-se atento à criança o tempo todo. Supervisione e oriente a brincadeira para evitar possíveis quedas.
- Quanto mais alto o brinquedo, mais risco de a queda causar uma lesão importante.

Com pequenos cuidados, é possível evitarmos consequências indesejadas e mantermos nossos pequenos saudáveis e contentes enquanto brincam e crescem!

Cuidados com os pequenos nos dias frios

Com as temperaturas mais baixas, as preocupações com as crianças aumentam em relação à doenças de inverno, especialmente as respiratórias. A nova estação é um dos fatores que aumentam a incidência de doenças como rinite, sinusite, faringite, laringite, bronquite, bronquiolite, asma e muitas outras. Tosse, nariz escorrendo, falta de ar e febre são os principais sinais e sintomas que vemos nos pequenos.

Alguns cuidados, no entanto, podem ajudar a prevenir esses males e podem trazer um outono e inverno mais saudáveis!

Confira:
- Lave as roupas de inverno que estavam guardadas há muito tempo antes de vestir as crianças.
- Deixe o ar circular em casa, abrindo as janelas e favorecendo a eliminação de partículas. Troque roupas de cama com frequência e use pano úmido para tirar a poeira dos móveis.
- Mantenha as crianças hidratadas, oferecendo líquidos com frequência.
- Evite contato com pessoas doentes e ir a locais com muita gente.
- Mantenha a vacinação do pequeno em dia

Não hesite em procurar assistência médica caso seu filho apresente sinais de infecção, principalmente febre. Com alguns cuidados simples, é possível proporcionar um inverno aconchegante e saudável para toda família!

Como garantir um quarto confortável e seguro para seu filho

No ambiente da casa que é só dele, é importante prestar atenção em alguns detalhes para garantir segurança e também conforto. O quarto das crianças é onde eles dormem e muitas vezes passam bastante tempo seja brincando, lendo, fazendo descobertas...por ser tão especial para eles, separamos algumas dicas para os adultos fazerem esse espaço ainda mais especial.

Confira:

- para garantir segurança, prefira móveis com cantos arredondados. Janelas com redes de proteção, tomadas com protetores, grades na cama até a criança completar 5 anos e armários que não permitam que a criança suba nele são outras importantes dicas.

- Estímulos eletrônicos como TV, computador, tablets e vídeo games não devem ficar no quarto onde a criança dorme. Essa interferência pode não ser saudável a partir do momento que passam a atrapalhar o sono do pequeno.

- Sem insetos. Usar mosquiteiros ou produtos antimosquitos que podem ser plugados na tomada são as melhores opções. Evite usar inseticidas em aerossol. E respeite a distância indicada pelo fabricante ao usar aparelhos antimosquitos.

- Não deixe acumular poeira, e evite excesso de objetos e guardar objetos no topo de armários ou embaixo da cama. Lençóis de algodão retêm menos poeira. Lave cortinas quinzenalmente e ventile o ambiente diariamente.

- Um quarto confortável para a criança não precisa de carpete, ele deve ser bem iluminado e fresco no verão e quentinho no inverno.

- A limpeza correta é feita com pano úmido e sem vassouras e aspiradores de pó, pois estes deixam a poeira em suspensão no ar.

Com esses cuidados, o cantinho preferido da casa pelos pequenos vai ficar ainda mais confortável, seguro e saudável!