voltar

Blog > Mamãe Blogueira

Boa postura na gravidez

Por Mariana Reibnitz - Fisioterapeuta


Durante a gravidez, principalmente a partir do segundo trimestre, a barriga da gestante começa a se tornar mais pesada,  esse  aumento do peso gera um exagero nas curvas naturais da coluna lombar. Muitas gestantes adotam posturas incorretas, impondo à coluna vertebral e às articulações um esforço desnecessário, gerando dores, falta de comodidade para sentar, andar, dirigir e até mesmo dormir.

Uma postura adequada durante os nove meses de gestação além de trazer bem estar, colabora para o bebê ficar na posição correta para o nascimento.

A seguir, algumas orientações básicas para que a gestante tenha um máximo de conforto, segurança e desempenho eficientes nas suas atividades de vida diária.

Sentar

Na pelve, existem dois ossos chamados ísquios. Ao sentar-se, coloque as mãos sob os glúteos e mantenha-se ereta até sentir os ossos. Prefira cadeiras com encosto, apoiando bem as costas.  Os joelhos flexionados em ângulo reto e os pés apoiados no chão.

Levantar

Ao levantar-se, jogue os ombros para frente e concentre todo o peso do corpo nos joelhos, até ficar em pé. Nunca segure a barriga nesse movimento. Caso fique em pé, encaixe o quadril minimizando a sobrecarga lombar.

Levantar da cama

Após uma noite de sono, a gestante ficará de lado e vai apoiar o tronco sobre o cotovelo, levando uma perna por vez para fora da cama, apoie as mãos no colchão e levante o tronco.

Dormir

A posição mais correta para uma noite bem dormida é deitar-se de lado, principalmente do lado esquerdo. Esse posicionamento impede a compressão da veia cava inferior, localizada à direita, principalmente no 3º trimestre da gestação. O ideal é um travesseiro disposto na cabeça (na altura dos ombros) e outro no meio dos joelhos, para manter as pernas fletidas e não sobrecarregar a coluna lombar.

Levantar peso

Uma gestante deve evitar levantar e carregar peso. Prefira pedir auxílio para outra pessoa. No entanto, objetos leves podem ser carregados desde que os traga muito próximos ao tronco. Flexione as pernas, segure-os com as duas mãos e concentre o peso do corpo nos joelhos.

Ficar em pé

Ao ficar em pé, a grávida deve deslocar o peso do corpo para a parte anterior dos pés, evitando sobrecarregar os calcanhares; para se posicionar desta forma, basta fletir ligeiramente os joelhos, contraindo as nádegas.

Sapatos adequados

Conforto é fundamental porque favorece a circulação sanguínea, evita câimbras e facilita o bom posicionamento de todo o corpo. Durante a gravidez, a gestante deve evitar saltos altos e finos, sapatos com bicos estreitos e apertados.

 


 

Andador Feliz Calesita

Por Mariana Reibnitz - Fisioterapeuta

Ao longo do primeiro ano de vida os bebês são curiosos por natureza e esta curiosidade é o que os motiva a se movimentar e explorar o ambiente ao redor. Este espírito explorador estimula o bebê a alcançar alguns dos principais marcos do desenvolvimento motor normal como se arrastar, rolar, engatinhar, para depois levantar-se com apoio e finalmente começar a andar.

O desenvolvimento na aquisição da marcha na infância pode sofrer interferências provenientes de diversos aspectos. Ambiente de convívio, estimulação, nutrição e maturação do sistema nervoso central. Entre os 10-11 meses de idade a criança começa a ficar em pé com apoio. É nesta fase que o Andador Feliz é indicado. O brinquedo fornece assistência às crianças que estão prestes a adquirir marcha e, desse modo, o brinquedo auxiliará a criança deixando ela livre para dar os passos por conta própria. O Andador Feliz permite que a criança visualize suas pernas em movimento estimulando-a a descobrir e se adequar mais rapidamente ao processo de caminhar.

O brinquedo também oferece a opção de virar um painel didático para a criança brincar sentada. Ao sentar sem apoio, manipulando o brinquedo, ela desenvolve o equilíbrio do tronco e aperfeiçoa controle dos movimentos dos músculos das mãos e dedos. O brinquedo ainda oferece estímulos de compreensão e reconhecimentos de formas, cores e sons.

É importante a supervisão de um adulto enquanto a criança faz uso do andador, principalmente quando as rodas estiverem destravadas. Como o brinquedo aumenta o alcance da criança, é necessário ter cuidados especiais com objetos perigosos sobre mesas e mobiliários baixos e fios elétricos.  E principalmente impedir a criança de se aproximar de degraus ou escadas.

Segurança na hora de andar de skate, patins, patinete e bicicleta

Por Mariana Reibnitz - Fisioterapeuta

A maioria das crianças após aprenderem a andar de patins, skates, patinetes e bicicleta adoram esse hábito. Saiba como proteger as crianças na hora de se divertir em um passeio.

Confira as principais sugestões para evitar que as crianças se machuquem enquanto se divertem.

Para que a diversão seja garantida, a criança precisa usar equipamentos de proteção. Os capacetes são particularmente importantes para prevenir e para minimizar lesões na cabeça. Os pilotos devem usá-los de maneira que eles atendam as normas de segurança aprovadas e que sejam projetados especificamente para reduzir os efeitos dos riscos durante o período em que se anda de skate, de patins, de patinete e de bicicleta. Saiba que o pequeno aprende melhor observando os pais. Por isso, dê o exemplo e coloque o capacete sempre que você for andar junto. Proteções para os pulsos, para os cotovelos e para os joelhos devem ser sempre usadas.

Leve seu filho com você na hora de comprar a bicicleta para que ele possa experimentá-la. Compre uma bicicleta que esteja adequada ao tamanho do pequeno, bicicleta e patins extragrandes podem ser perigosos.

Um capacete deve ser usado de modo que atenda o nível da cabeça, que cubra a testa e que não seja inclinado para frente ou para trás. A pulseira deve ser bem fixada, com cerca de dois dedos capazes de caber entre o queixo e o capacete. Não se pode se esquecer da confortabilidade e é importante que ele não seja demasiado apertado. A cabeça deve mover-se com o acessório quando a criança olhar para os lados.

Quando for passear com seu filho, escolha caminhos apropriados ou pistas próprias para a prática da patinação, skate e bicicleta. Evitar ruas e calçadas e principalmente lugares com o tráfego intenso.


Mariana escreve para o blog em 5as feiras alternadas.


 

Natação para bebês

Por Mariana Reibnitz - Fisioterapeuta

Especialistas em educação física que trabalham com a prática da natação afirmam que é uma atividade física também adequada aos bebês. Isso porque desde a gestação, eles estariam acostumados ao contato com o meio líquido e os próprios movimentos dentro da barriga da mãe se assemelhariam muito aos feitos na água.

A natação na primeira infância é aplicada para desenvolver a capacidade respiratória e psicomotora e não para fazer a criança aprender a nadar como um peixinho.

Normalmente as aulas de natação são ministradas junto com a mãe ou com o pai, para que tenha condição de se divertir com segurança, transformando o medo do desconhecido em um ambiente alegre e prazeroso.

Na natação o bebê não encontra barreiras para se mexer e também não sente o peso da gravidade sobre o corpo e aprende a nadar brincando. Nesta faixa etária nadar significa, simplesmente, movimentar braços e perninhas com ou sem apoio dos pais, além de pequenos mergulhos.

É recomendado iniciar a natação a partir dos seis meses, pois o bebê apresenta mais movimentação do corpo, nesta idade ele também consegue receber mais informações. Um bebê de três meses, no entanto, seus movimentos e reflexos são mais delicados.

Os benefícios da prática da natação podem ser notados em vários aspectos:

- melhora sua coordenação motora;

- aumenta a resistência cardio respiratória;

- desenvolve noções de espaço e tempo;

- deixa o bebê mais ágil para engatinhar, sentar, andar e depois correr;

- Prepara a criança para o auto-salvamento, uma vez que traz conhecimento e adaptação do bebê ao meio líquido, facilitando assim sua busca por apoios;

- Faz com que o bebê aprimore o controle da glote, isto é, o fechamento da laringe, sempre que o seu rosto entrar em contato com a água.

 


Mariana escreve para o blog em 5as feiras alternadas.

Posição ideal para o bebê dormir

Por Mariana Reibnitz - Fisioterapeuta

Existem muitas dúvidas dos pais em relação para qual posição deixar o bebê dormindo. Foram realizados diversos estudos para melhor orientar os pais, mas vale lembrar que sempre que ocorrer essa dúvida procure profissionais da área da saúde de sua confiança e converse sobre a questão do posicionamento do bebê na hora de dormir e faça o que te deixar segura seguindo as orientações.

Segundo pesquisadores do Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e campanhas recentes divulgadas nos Estados Unidos e na Inglaterra a maneira correta para deitar o bebê até completar um ano de vida é de barriga para cima, reduzindo assim os riscos de morte súbita.

A morte súbita em bebês não tem causa definida e ocorre durante o sono. Profissionais da área de saúde analisam a ligação entre o modo como o bebê dorme e casos de morte súbita durante o sono.

Segundo o Dr. Cesar Victora, doutor em Epidemiologia e coordenador do Comitê de Mortalidade infantil da cidade de Pelotas ressalta que a informação de que ao dormir de barriga para cima o bebê vai aspirar o vômito e se afogar não passa de uma crença popular incorreta. É preferível o bebê estar sujeito a sofrer engasgamento do que correr risco de morte. Ao engasgar, o bebê tem o reflexo da tosse, que logo chama a atenção dos pais. Ao deitar de lado ou com a barriga para baixo o bebê respira um ar viciado, ou seja, o ar que ele próprio expira. Uma criança maior ou um adulto acordariam ou trocariam de posição para evitar o sufocamento, mas em alguns bebês a parte do cérebro que controla este reflexo não está desenvolvida.

Além da posição na hora de dormir, há outros fatores que podem resultar na síndrome da morte súbita, como o consumo de cigarro, álcool e drogas pela mãe durante e depois da gestação e falta de pré-natal. De acordo com o Hospital Israelita Albert Einstein quarto superaquecido, excesso de roupas, colchão macio e a presença, no berço, de protetores, travesseiro, almofadas, cobertas soltas e bichos de pelúcia estão entre os fatores de risco também. Compartilhar a cama dos pais também não é recomendado.

A campanha lançada pela Pastoral da Criança justifica que uma vez que campanhas que recomendam a posição para dormir de barriga para acima mostraram importantes reduções na síndrome da morte súbita, justifica-se plenamente a adoção desta medida em atividades de educação em saúde.


Mariana escreve para o blog em 5as feiras alternadas.


 

Corpo em equilíbrio

Por Mariana Reibnitz - Fisioterapeuta

Todos queremos ter saúde e também desejamos boa saúde aos nossos filhos.

De acordo com a organização mundial de saúde, saúde é o estado completo de bem estar físico, mental e social e não simplesmente ausência de doença. Com os grandes avanços na ciência médica, ficou mais que provado, se a mente vai bem, a tendência é que o corpo também esteja bem, por conseguinte, um corpo sadio será morada para uma mente sadia.

E o que é preciso para mudar e transformar algumas atitudes em comportamentos saudáveis? Falarei 10 dicas que considero serem importantes para atingir uma saúde integral adquirindo equilíbrio com o seu corpo, mente e ambiente. São pequenas ações que você pode modificar no seu dia a dia e compartilhar com sua família.

 

1º Alimentação - Não é tanto a quantidade que é importante, mas a qualidade dos alimentos e sua utilização com equilíbrio. Nosso organismo necessita receber de modo bem distribuído, dosagem correta de proteínas, vitaminas, carboidratos, gorduras e sais minerais. Nada melhor com as dicas e orientações nos textos da nossa nutricionista do blog!

2º Exercício Físico - Muitos problemas de saúde surgem como consequência do sedentarismo. A atividade física não apenas beneficia o sistema músculo esquelético, mas também o sistema cardiovascular, respiratório, circulatório, endócrino, sistema imunológico e ampliam o prazer da vida.

3º Sono adequado - Dormir bem talvez seja o fator mais importante para se ter saúde. Enquanto dormimos nosso corpo se recupera de todos os desgastes do dia, para recuperar energia para uma nova jornada no dia seguinte.

Durma o número de horas de que o seu corpo precisa. Se o seu relógio biológico exige seis ou oito horas, você saberá disso melhor do que ninguém. Respeite o seu ritmo para ter um rendimento melhor.

Não veja televisão ou faça uso do computador antes de ir dormir, isso altera o período REM do sono.

4º Hidratação - Sempre tenha uma garrafinha de água perto de você, beba pelo menos 2 litros por dia. No início parecerá difícil, mas você irá acabar se acostumando. Com certeza seu corpo sente necessidade dessa ingestão diária de líquidos.

5º Ambiente - No nosso dia-a-dia ingerimos toxinas constantemente, através de medicamentos, estresse, dietas impróprias, bebidas alcólicas, fumaça de cigarro, poluição, agrotóxicos dos alimentos, entre outras maneiras. Ambiente saúdavel proporciona bem estar, o que torna a utilização do principio de precaução especialmente útil. E para quem mora em grandes centros, procure de vez em quando lugares com o ar puro, junto à natureza, nas florestas, ou cidades no interior.

6º Higiene Pessoal - Deve-se dar toda atenção ao cuidado externo do corpo, tanto no que diz respeito à aparência quanto à saúde. O vestuário deve ser sempre limpo e confortável, o banho diário é indispensável, bem como a higiene bucal.

7º Postura - Parte de nossas dores de coluna, ombros e pescoço são apenas o resultado de uma má postura cultivada durante todo o dia. O nosso bem estar corporal reflete diretamente em nossa saúde. Mude seus hábitos posturais, comece a corrigir sua postura assim que perceber que está na posição errada.

8º Saia da rotina - Separe um tempo para fazer o que gosta. Ninguém vive somente de trabalho. É essencial fazer o que nos dá prazer, pois essas tarefas se tornarão motivo de alegria na sua rotina ao invés de um compromisso.

Não perca a oportunidade de sair da rotina, sua mente, assim como o seu corpo, precisa relaxar e desconectar do stress.

9º Vida social - Muitas pessoas por falta de tempo ou de vontade se permitem estagnar, não fazendo mais nada a não ser trabalhar e ir para a casa. Com esse tipo de atitude elas perdem algo fundamental para seu bem estar, que é a vida social. Todo mundo precisa parar um pouco e sair, bater um papo com os amigos e a família, ingressar em um curso, ou fazer qualquer coisa que possa envolver pessoas que você gosta.

10º Espiritualidade - Na vida moderna há muitas tensões e preocupações, muitas angústias e falta de paz. As preocupações desnecessárias envenenam a mente e enfraquecem o corpo. Para Dalai Lama espiritualidade está relacionada com aquelas qualidades do espirito humano – tais como amor e compaixão, paciência e tolerância, capacidade de perdoar, contentamento, noção de responsabilidade, noção de harmonia – que trazem felicidade tanto para a própria pessoa quanto para os outros.

 


Mariana escreve para o blog em 5as feiras alternadas.